quinta-feira, 30 de outubro de 2008

Quimeras


A verdade é que eu sempre tento mudar o significado das coisas. Se você me diz que algo é isso, eu digo que não, não pode ser isso, é muito mais provável que seja aquilo. Ao buscar um nome pro meu blog, lembrei desta palavra, 'Quimera', lembro que minha mãe a dizia constantemente. Lembro, se não me engano, que ela recitava uma poesia com essa palavra. Então me dei conta que mesmo sem entender plenamente seu significado, sempre senti um 'quê' de surreal nela, algo meio distante.
Então li que Quimera diz respeito a uma figura mítica e que devido ao seu caráter eminentemente fantástico, este termo refere-se a algo que não passa de fruto da imaginação.
Não poderia haver título mais adequado para um blog pertencente a quem vive num mundo de quimeras, mas de quimeras realizáveis (é aí que entra o meu irremediável costume de não me conformar com o significado das coisas). Então resolvi compartilhar as minhas quimeras, e fazer com que vocês vivam e sintam o quanto há de real em uma Quimera, mesmo que seja por alguns minutos.

3 comentários:

joanna disse...

lindooo
o amiga
eu te amo
e nunca desiste dos teus sonhos e mt menos duvide da tua capacidade de vencer
ja és uma grande vencedora

jéssica disse...

Nossa, adorei!
"Quimeras realizáveis" são bem melhores na nossa vida do que só "quimeras". Você e suas idéias que dão certo! :)

Adoro você!

beijos*

marialva disse...

È, filha, eu vivia a "declamar" uma poesia linda do Augusto dos Anjos, "Vês, ninguém assistiu ao formidável enterro da tua última quimera/somente a solidão, esta pantera, foi tua companheira inseparável...." Com certeza é daqui que te lembras... mas o fantástico disso tudo, é a "nova roupagem" que deste à palavra "quimera"...afinal as palavras não pertencem a um só indivíduo, eles nascem da "coletividade" imersa na individualidade. Te amo.