segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

Paraíso Perdido

Foi num Paraíso Perdido que eu encontrei o real sentido de minha vida. Foi neste lugar, em que a esperança já era quase imperceptível, em que as almas vagavam sem direção, já quase despidas de alma, que eu tive a experiência mais inebriante de minha existência. Bêbada de emoções, de euforia, de alucinações tão reais quanto a própria vida, era esse meu novo mundo. Esse lugar é meu Éden sem pecado, sem maldição ou consequências ruins. Dele, só trouxe o maravilhoso, o sagrado. O sagrado amor pela Arte. Cada vez que minha mente vaga de volta ao Paraíso Perdido, sinto-me sedenta de Arte, de entrega verdadeira, de emoções á flor da pele; de corpos e almas que vibram na mesma energia, de mãos suadas que se agarram umas ás outras buscando reconhecimento e inspiração. A cada retorno a este Paraíso, a vida torna-se muita mais lógica e contundente, poque ele faz do abstrato o que há de mais paupável para se sentir; É neste Paraíso que tenho a verdadeira dimensão do princípio, do presente, e do que está por vir.
Salve, Paraíso Perdido, lugar sagrado!

5 comentários:

Mayara, disse...

nosso refugio sagrado, nosso porto seguro, nosso alicerce. O príncipio de tudo, e no príncipio bastava um sopro. Sopro que ja foi dado, e nos leva.. voando. Na direção dos objetivos maiores, das forças maiores. É tão bom perceber que os ventos nos direcionaram pro mesmo lugar, e que Ele continue soprando nos nossos destinos!

Larissa Emi. disse...

o vento passa, e nos carrega juntas pro mesmo lugar. isso é uma bênção!

Raissa disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Raissa disse...

Nosso 'tempo sagrado', eu arrisco. Cada vez que eu volto nele, me certifico de que nenhuma certeza da minha vida é maior do que o que ele deixou. E nos estamos traçando juntas essa certeza!

marialva disse...

Paraíso é isto: o Adão ter consciência de que está nu e mesmo assim, se contemplar, contemplar o Paraíso, contemplar o Criador? Paraíso é perder-se pra se achar? Paraíso é a contradição de tudo "com vivendo" na sua própria necessidade de ser "una" sendo "várias"? Ou Paraíso é a eterna pergunta (tão fantasticamente presentificada por Cecília Meireles) "Ou isto ou aquilo"? O Paraíso (o teu) te serviu (e te serve) pra te nortear, te desnorteando. Te amo, filha.