terça-feira, 20 de abril de 2010

São tantos ciclos, tantos, que a cabeça fica até tonta de tanto girar através deles. Fases e mais fases. Quando corpo e alma começam a se habituar com o que lhes é imposto, TCHANRAM!, próxima fase. Não dá nem tempo de gravar as melhores partes da última fase na memória. A alma parece gritar por fixação. 'Por favor, deixe algo gravado em mim. Eu preciso ter lembranças aonde me apoiar, e lembranças positivas, nenhuma mágoa incluída no pacote.' É tão confuso. Desejar tanto estabilidade e por outro lado não conseguir se manter bem e satisfeito durante muito tempo. Não dá pra saber se é pura insatisfação própria ou se os outros realmente nunca alcançarão o que sentimos, o que prezamos, o que necessitamos. Parece-se estar profundamente distante do que os outros desejam, assim como os outros parecem ser completamente alheios aos nossos desejos. Entender o que falam é difícil e eles parecem também não captar o que é transmitido. Que erro de comunicação estranho. Erro esse que dificulta tanto as coisas. E que talvez seja o principal motivo dessa instabilidade louca e desregrada de ações, palavras, sentimentos, objetivos. De ambas as partes. Defeito proveniente de fábrica e agravado porque o produto foi distribuído em massa, sem que houvesse a preocupação com as consequências de tal ato. Se ainda estivermos na garantia, agradeceríamos profundamente se um aviso fosse espalhado. E se a reparação dos danos já ocorridos também ainda fosse possível, até tentaríamos entrar em acordo pra pagar a quantia pedida pela realização do conserto. É caso de vida ou morte.

Um comentário:

marialva disse...

Lembras: "Tu me fizeste uma das tuas criaturas, com ânsia de amar/ águia pequena que nasceu para as alturas, com ânsia de voar.../se eu não tentar não saberei como se voa.../Haja mau tempo, haja correntes traiçoeiras, se já tem asas, teu destino é voar.../Embora eu seja como outras criaturas, não vou me rebaixar/ Não vou brincar de não ter sonhos, se eu os tenho/ Igual meus pais vou construir também meu ninho MAS NÃO SOU ÁGUIA SE LÁ EM CIMA EU NÃO MORAR...NÃO VOU TRAIR MEUS IDEAIS PRA SER FELIZ... VOU SER QUEM SOU E MESMO ASSIM SEREI FELIZ". É isso,filha, nem sempre é pra entender; é aceitar o que não dá pra mudar, é mudar o dá e,principalmente, conviver com o "imudável". Realizar sonhos é exatamente (não sei se tão exato) isso.